22 Junho, 2022

O início da operação da Carris Metropolitana no concelho de Loures foi adiado para janeiro de 2023, “por razões da responsabilidade dos operadores prestadores de serviço”.

O anúncio foi feito na tarde do dia 22 de junho pela Transportes Metropolitanos de Lisboa (TML), num comunicado em que se explica que, neste momento, “não estão garantidas as condições consideradas essenciais para a entrada em funcionamento do novo serviço, por razões da responsabilidade dos operadores prestadores de serviço”.

Assim, o início de operação que estava previsto para o dia 1 de julho de 2022 foi adiado para 1 de janeiro do próximo ano, não só na designada Área 2 (que além de Loures abrange Mafra, Odivelas e Vila Franca de Xira), mas também na Área 1 (que abarca os concelhos de Amadora, Cascais, Lisboa, Oeiras e Sintra). Até lá, todo o sistema de transportes se mantém como até aqui.

No comunicado já referido, explicita-se que “a falta de um número bastante significativo de viaturas novas, a inexatidão nas datas da sua disponibilidade e a adequação dos sistemas de informação necessários à prestação do serviço” são algumas das razões identificadas “para que se considere que o serviço não está em condições de ser colocado em prática”.

No documento, a TML acrescenta que “tem desenvolvido”, “em estreita colaboração com todas as câmaras municipais” da Área Metropolitana de Lisboa, “todos os esforços para que este processo decorra com o menor número de perturbações possíveis junto das populações e para que a operação da Carris Metropolitana seja uma realidade verdadeiramente disruptiva da qualidade do serviço rodoviário”.

Recorde-se que a entrada em funcionamento da Carris Metropolitana se irá traduzir na circulação de uma frota de autocarros completamente renovada e numa melhoria no serviço prestado, com linhas adicionais e novos percursos. Os novos veículos estarão equipados com wifi e USB.